Em 02 de março de 2022

No dia 23 de março, Florianópolis celebra 349 anos. A cidade que encanta com suas belezas naturais é conhecida carinhosamente como Ilha da Magia. São mais de 100 praias, além de muitas outras atrações. 

Opções do que fazer por aqui não faltam, você pode escolher entre a agitada Lagoa da Conceição e a tranquila Lagoa do Peri, o tradicional Centro Histórico, a movimentada Avenida Beira-Mar, os bucólicos bairros de estilo açoriano de Santo Antônio de Lisboa e do Ribeirão da Ilha e as imponentes fortalezas coloniais. Sem falar nos museus, igrejas, teatros e do cartão postal da cidade: a Ponte Hercílio Luz.

Para celebrarmos juntos os 349 anos de Florianópolis, separamos 4 opções de passeios gratuitos na cidade. Confere com a gente!

Ponte Hercílio Luz

Foto por Claiton Conto / Unsplash

Cartão postal de Florianópolis, a Ponte Hercílio Luz é um patrimônio histórico, artístico e arquitetônico da cidade, com tombamento em três níveis: municipal, estadual e federal. Aos sábados e domingos, o uso é exclusivo para pedestres, o que possibilita passeios tranquilos com a família e belos registros.

 

Mercado Público Municipal

Foto: Prefeitura Municipal de Florianópolis

Valorizado como patrimônio artístico, histórico e arquitetônico de Florianópolis, o Mercado Público é um dos principais pontos turísticos da cidade. Além de apreciar a arquitetura e história do local, também é possível provar os petiscos e bebidas de boteco, que fazem do lugar o melhor happy hour da cidade.

Santo Antônio de Lisboa

Foto por Joao Vitor Marcilio / Unsplash

Esse é um dos passeios preferidos de quem mora ou visita Florianópolis. O bairro de Santo Antônio de Lisboa preserva a arquitetura com traços açorianos, um atrativo para quem gosta de história e cultura. O bairro também é conhecido por reservar um dos mais belos pôr do sol da ilha.

 

Morro da Cruz

Foto por BORIS G / Flickr

O Morro da Cruz é um dos melhores pontos para se contemplar uma vista panorâmica de Florianópolis, permitindo uma visão privilegiada das duas baías, das pontes que ligam a ilha ao continente e dos bairros na região continental. De fácil acesso, com trajeto asfaltado até o topo, apesar de ser possível ir de bicicleta ou caminhando, o mais indicado é que se realize a subida com algum veículo.

DÊ SUA OPINIÃO